Metro News Metro News

Metropolitano terá sede administrativa neste segundo semestre


A partir do mês de agosto, o Metropolitano Jundiaí Futebol Clube terá uma sede administrativa, melhorando assim a estrutura de todos que trabalham no clube. O local escolhido fica na Vianelo.

 

“Com uma sede, toda a logística para jogos e treinos fica mais simples e ainda proporciona encontros para alinhamentos. A gestão extra-campo ganha muito com um local físico”, declara o diretor de planejamento da agremiação Vinicius Pontes.

 

A sede administrativa do Metro terá além de sala para reuniões, também rouparia e sala de comunicação. No futuro, o clube venderá na sua própria sede artigos para que torcedores e simpatizantes do Tricolor possam adquirir os produtos.  

 

O Metropolitano mantém sua sede de treinamentos na Vila Alvorada, e mandará seus jogos em centros esportivos de Jundiaí, em parceria com a Prefeitura de Jundiaí.

 

Nesta temporada, o Metropolitano tem no seu calendário a previsão de disputar com as categorias sub-15 e 17 diversas competições. Estes torneios devem começar no mês de setembro, caso as autoridades no estado concedem a autorização.
 
Por Thiago Batista - Assessoria de imprensa do Metropolitano Jundiaí FC

Leia Mais ►

Metropolitano inova e realiza avaliação virtual para as categorias de base


Em época de pandemia, onde atividades presenciais estão proibidas, o Metropolitano não para de inovar. O clube abre a oportunidades para jovens interessados em participar das equipes sub-15 e 17 ainda nesta temporada. A avaliação será feita de forma virtual. Os interessados têm até o dia 31 de julho para realizar sua inscrição, antes de mostrar as suas habilidades com a bola de futebol nos vídeos.

Os atletas que desejam ser avaliados devem enviar vídeos, cujo a soma no total deve ter no máximo cinco minutos de duração. Para integrar a categoria sub-15 podem participar jovens nascidos em 2005, 2006 e 2007. Para participar da categoria sub-17 devem participar adolescentes nascidos em 2003 e 2004. A inscrição deve ser feita no seguinte endereço: https://forms.gle/NpFXitj8fBuoFAzZ6 .


Os atletas selecionados, após o retorno das atividades, serão avaliados presencialmente pela comissão técnica.

Por Thiago Batista - Assessoria de imprensa do Metropolitano Jundiaí FC

Foto: Divulgação - Gustavo Amorim

Leia Mais ►

Atletas do Metropolitano Jundiaí recebem kit de boas-vindas


Na última semana o Metropolitano Jundiaí começou na pratica o seu planejamento para temporada 2020. O clube entregou a todos os atletas que estão participando das atividades da agremiação um kit de boas-vindas para o atleta, já com conceito da modernidade e das mudanças que o mundo exige por conta do momento.

O kit tem a carteirinha de identidade do atleta como pertencente ao Metropolitano, além de um tag para identificação com um acessório para ser preso na mochila, para facilitar o manuseio. Também foi entregue uma máscara personalizada do Metropolitano, para utilização durante atividades do Metro, quando ocorrerem no gramado – material este fabricado pela Fagundes Art.

“Algumas ações estavam planejadas para essa temporada, tais como evento para abertura e apresentação de da comissão técnica, workshops presenciais entre especialistas e pais e o kit de boas-vindas. Infelizmente algumas ações não foram realizadas em virtude do cenário atual, mas o kit de boas-vindas foi entregue a todos os atletas e comissão técnica. O objetivo do kit é fortalecer o laço entre os atletas com o Metro, pois no futuro será uma recordação”, contou Vinicius Pontes, diretor de planejamento do clube.


Por Thiago Batista - Assessoria de imprensa do Metropolitano Jundiaí FC

Fotos: Divulgação

Leia Mais ►

Metropolitano contrata profissional campeão da Copa Paulista de 2011 pelo Paulista


O Metropolitano Jundiaí Futebol Clube tem um novo profissional para compor a sua comissão técnica. Trata-se de Ederson José Lopes, ou simplesmente Éder Lopes. 

O preparador físico tem um currículo de respeito no futebol, com títulos e acessos ao longo da carreira. 

Ele participou da comissão técnica campeã da Copa Paulista de 2011, quando o Galo era dirigido por Wagner Lopes. Fora de Jundiaí, conquistou inúmeros acessos.


Ele participou de três campanhas de acessos nos últimos oito anos:
- Acesso da ‘Bezinha’ para Série A3 pelo Barretos na temporada 2014
- Acesso da Série A3 para Série A2 pelo Barretos na temporada 2015
- Acesso da ‘Bezinha’ para Série A3 pelo Comercial de Ribeirão na temporada 2018

Éder comenta que sua chegada ao Metropolitano será uma experiência bastante positiva. “É muito importante estar engajado em projetos como o Metropolitano possui, que conta pessoas extremamente competentes atuando em suas áreas”, explica.


O preparador físico sabe que seu trabalho será importante quando ocorrerem o reinicio das atividades, já que os garotos estão quase 120 dias sem qualquer tipo de treinamento nos gramados. 

“A ideia é que assim que as coisas forem normalizadas e os treinos poderem ser retomados, iniciarmos uma preparação específica visando as competições que contemplam o restante da temporada”.

Ele lembra que existem diferenças entre trabalhar com jogadores profissionais e atletas que estão ainda no seu trabalho de formação, como é o Metropolitano com suas categorias sub-15 e 17. 

“Além de todo aspecto físico e maturacional, existe o aspecto psicológico que merece um cuidado especial. Trabalhar na formação de novos atletas é tão ou mais importante do que trabalhar com atletas profissionais. Porém com os jovens existe sempre aquele brilho nos olhos, a esperança em virar jogador, você liga diretamente com expectativas sonhos”, finaliza.


Éder é formado em ciências da atividade pela Universidade de São Paulo (USP), e desde 2011 atua como preparador físico no futebol profissional.  Além das campanhas vitoriosas, o seu currículo tem passagens por clubes importantes do estado de São Paulo: sub-17 do Mirassol em 2015, Matonense em 2016 e Bandeirante de Birigui no ano passado.

E para ele trabalhar sempre com grandes profissionais e vencedores ajudou a formar seu currículo ganhador. “Acredito que a maior vitória foi fazer parte de grupos com pessoas de espírito vitorioso, comprometidas com o trabalho e focadas nos objetivos. Quando o grupo (jogadores, comissão e diretoria) estão vibrando nessa sintonia, dificilmente as coisas dão errado”.


Por Thiago Batista - Assessoria de imprensa do Metropolitano Jundiaí FC

Fotos: Divulgação - Arquivo Pessoal

Leia Mais ►

Preparador físico acredita que duas semanas serão suficientes para retomar a técnica


O Metropolitano Jundiaí Futebol Clube cumpre integralmente e apoia todas as medidas das autoridades sanitárias para evitar a propagação do coronavírus em Jundiaí, especialmente aglomerações que envolvam neste momento crianças e adolescentes. 

Só que o clube está com seu planejamento pensando também no futuro, quando ocorrer o retorno das atividades de futebol. 

O preparador físico do clube e também treinador da categoria sub-15, Raul Rodrigues, tem o esquema pronto para a volta das atividades físicas e técnicas dentro do gramado. 

Para ele duas semanas serão suficientes para os jogadores retomarem a técnica.

São mais de 120 dias sem qualquer tipo de atividade em grupo com bola – alguns até mesmo de forma individual por limitações das suas residências.


“O ideal na volta seria ter um mês para preparamos os atletas da melhor forma, mas como sabemos que as coisas vão ser bem aceleradas, acredito que duas semanas cheias de treinamento será o suficiente para condicionar todos os atletas. Nesse período em que tudo será adaptado, duas semanas será suficiente. E depois com a sequência de jogos, que eles vão melhorar a parte técnica naturalmente”, comenta.

Desde o inicio da quarentena, em março, Raul orienta os garotos nas atividades que eles realizam em suas residências, com foco na parte física.

 “Já elaboramos duas sessões de treinos para os atletas, visando ser realizado individualmente, em espaços reduzidos, somente com o peso corporal, para que facilite para todos”, lembra.


Raul diz ainda que é importante que os jogadores se mantenham ativos neste momento para que possam voltar minimamente bem condicionados quando puderem novamente pisar no gramado. 

“As competições serão de tiro curto, então a parte física será fundamental”, completa.

Na volta aos treinamentos, Raul sabe quais os principais cuidados ele deve ter com os garotos para que não sofram lesões, pela longa ausência de inatividade de jogos e treinos com bola. 

“Devemos dar atenção principalmente nos membros inferiores, fazer um trabalho de fortalecimento, para minimizar os riscos de lesões. Enquanto na parte técnica temos que dar mais atenção nos trabalhos de passe, que é o fundamento mais usado durante uma partida”.

Por Thiago Batista - Assessoria de imprensa do Metropolitano Jundiaí FC
Fotos: Divulgação – Assessoria de imprensa do Metropolitano Jundiaí FC – Thiago Batista

Leia Mais ►

Futebol e tecnologia convivem cada vez mais juntos



O futebol ainda é - e vai continuar sendo por muito tempo - o esporte mais popular do mundo. Diferente dos anos 1960, 1970, 1980 e 1990, atualmente o futebol é um negócio, gerando muito dinheiro, de certa forma, sem margem para erros.

Se no passado tínhamos bolas de capotão, chuteiras que machucavam os pés e árbitros cometendo erros gritantes, hoje a situação é outra. Com muita tecnologia fora das quatro linhas, alguns aspectos do esporte evoluíram e hoje temos mecanismos que realmente modificaram o futebol em um nível como nunca antes.

O que estamos presenciando agora é a tecnologia dentro das quatro linhas, gostando ou não.

A tecnologia tem um papel fundamental nesta transformação, impulsionando principalmente nos bastidores como IOT para telemetria, analises preditivas utilizando Machine Learning, informações anywhare e anytime através do Cloud e também tecnologias durante os jogos.

Tira-teima

Essa tecnologia é relativamente antiga, é utilizada a pelo menos trinta anos, mas que passou por uma grande evolução nos últimos anos, inclusive com utilização de inteligência artificial para simular ou apontar eventuais equívocos.

Apesar de bastante utilizado, o tira-teima não tem influência na partida. Esse é um recurso meramente ilustrativo para ajudar os espectadores e comentaristas a entender melhor o jogo em questão.

Chip na bola
Rudimentar, mas muito eficiente. Consiste em um chip dentro da bola que avisa remotamente o árbitro, que recebe uma notificação em seu relógio.

Apesar de simples e com custo baixo, ainda não é utilizado em grande escala.

Vale destacar, que essa tecnologia possibilita gerar um mapa de calor do jogo para possíveis estudos.

Telemetria

É comum nas grandes equipes, os atletas utilizarem coletes GPS, chuteiras com sensores e ainda sensores IOT.

Todas essas informações são processadas e utilizadas pela comissão técnica para treino a ser realizado, preparação física individualizada e também prever possíveis lesões.

Meios para transmissão de jogos
Quem diria que a Rede Globo iria perder a majestade nas transmissões! Hoje o futebol é multiplataforma, distribuído através do Facebook, Instagram, Youtube e “Plays” proprietários.

VAR
O sistema de vídeo-arbitragem VAR (sigla em inglês de video assistant referee ou árbitro assistente de vídeo), que foi lançado em 2018 de maneira oficial, com ele trouxe polêmicas entre espectadores, jogadores, treinadores e dirigentes do futebol mundial.

Basicamente consiste em utilização de câmeras de vídeo para análise de lances duvidosos após dúvidas, mas ainda não está maduro. A pergunta que fica é: realmente é necessária a utilização do VAR? Minha opinião é que não, o arbitro tem total autoridade em suas ações, mesmo que em alguns casos ele erre.

A conclusão é que a tecnologia veio para ficar no futebol e cada vez mais será comum ver profissionais de tecnologia inseridos nas comissões técnicas.

No caso do Metropolitano não é diferente, fora de campo é utilizado tecnologia nos bastidores, seja para organização e planejamento das atividades e agora com o núcleo de inteligência e desempenho.

Por Vinicius Pontes
Diretor de planejamento do Metropolitano Jundiaí Futebol Clube

Leia Mais ►

Metropolitano implementa soluções de tecnologia com seu Núcleo de Desempenho


O Metropolitano Jundiaí Futebol Clube está se modernizando. O clube não está ficando fora das mudanças que rapidamente estão chegando no esporte, até mesmo nas categorias de base. 

Nesta linha, o clube está implementando soluções tecnológicas fornecidas pelo Google para armazenamento de dados em um Data lake performático. O clube implementou o seu Núcleo de Desempenho desde junho, onde vai realizar analises minuciosas de cada partida.

O futebol de agora exige equipes mais compactas, troca rápida de passes, e posse de bola – onde a equipe de análise de desempenho fará todos os estudos. E para isso é necessário planejamento e organização dentro e fora das quatro linhas, com a utilização de métodos científicos e tecnológicos.

A análise de desempenho é uma ferramenta recém inserida no cenário do futebol brasileiro – aproximadamente uma década, e tem mostrado grande relevância na engrenagem do esporte. O departamento além de realizar análise da própria equipe – seja em jogos ou treinamentos, realiza outros tipos de ação. Quem trabalha neste tipo de departamento faz observações do time adversário e passa informações detalhadas para cada jogador e comissão técnica.

Até mesmo situação do mercado de jogadores tem equipe de análise trabalhando, para referendar ou não a contratação de um atleta – oferecendo um quadro completo de características de um atleta no momento que se discute a contratação de terminado jogador.

O objetivo do Metropolitano com a e compreender um pouco mais do universo de protocolos e números que não entregam vitórias, mas sim, informações com o objetivo que o time esteja munido da melhor preparação ao enfrentar o adversário na busca pela vitória.

Nesta linha, o clube com seu Núcleo de Desempenho está implementando soluções tecnológicas fornecidas pelo Google para armazenamento de dados em um Data lake performático e seguro. Estes dados são estruturados para fornecer informações complexas sobre desempenho individuais e coletivos, tanto de treinos quanto de jogos.

Também serão usados conceitos de machine leaning e inteligência artificial estão para oferecer insights a comissão técnica através de dashboards completos e customizáveis para cada categoria.

Com toda essa tecnologia implementada, é possível analisar tendências e padrões, bem como potencializar os pontos fracos durante os treinos, pois os vídeos de todos os jogos são processados digitalmente.


A integração entre as plataformas de colaboração gSuite e Google Cloud, facilitam o manuseio das informações, garantindo segurança e rapidez.

Por Thiago Batista - Assessoria de imprensa do Metropolitano Jundiaí FC

Foto: Divulgação

Leia Mais ►